Vitor Ramil – Campos Neutrais [Álbum]

Foi com a intenção de corresponder a esse signicado dos Campos Neutrais que reuni as quinze canções do álbum. As letras foram escritas em português, mas há uma em espanhol e outra em inglês.
O espanhol e o inglês também aparecem naturalmente (e digo assim porque sua presença no repertório geral é anterior ao conceito do disco) em frases ou palavras de algumas das canções em português, como Satolep Fields Forever ou Duerme, Montevideo. Por coincidência, as canções que acabo de citar são milongas. Mas não por coincidência não há um gênero musical que perpasse todo o repertório. Pelo contrário, a ideia foi de que as canções se abrissem para uma síntese de gêneros que se zesse sentir tanto na forma de construção dos acordes e de sua execução ao violão como nos arranjos de percussão e metais. O primeiro som que se escuta em Campos Neutrais, a música de abertura, é o de um berimbau tocado com arco. Logo somam-se a este mais dois berimbaus, tocados à maneira tradicional. Um bombo leguero soa alguns compassos adiante. A combinação de um instrumento emblemático da Bahia com outro da Argentina, no entanto, não resulta em clichê de fusão cultural, mas numa síntese em essência. Se ao ostinato hipnótico dos berimbaus o leguero abre janelas para uma zamba argentina, os metais, escritos a partir da percussão e do violão, adicionam a essa sobreposição de paisagens populares os entalhes construtivos da música contemporânea. Então, de repente tudo é popular e tudo é contemporâneo. A percussão, com outros tambores e efeitos, ainda vai além, sempre muito além, abrindo-se a outras culturas e transcendendo-as, sempre de modo que possamos acompanhá-la enquanto ela nos acompanha. Sob tudo, os violões, quase sempre dois, simétricos e abertos no estéreo, são uma planície cujas nuances harmônicas e rítmicas alimentam a elaboração de
todo o resto.
A percussão esteve toda a cargo do argentino Santiago Vazquez (meu colaborador desde o disco Tambong). Os arranjos de metais são do portoalegrense Vagner Cunha (em meu disco Longes, 2004, já havia um arranjo de cordas escrito por ele, mas nossa colaboração iniciou em 1999 com a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro). Os dois são geniais. Não posso dizer menos do que isso sobre eles. O trabalho de ambos em Campos Neutrais é grandioso, fala por si só. Os metais foram tocados pelo Quinteto Porto Alegre, formação alternativa de músicos da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre: Elieser Fernandes Ribeiro (trompete), Tiago Linck (trompete), Nadabe Tomás (trompa), José Milton Vieira (trombone) e Wilthon Matos (tuba). São um assombro.

 

Leia a Release em PDF – neutrais-release

 

 

Loja: iTunes Store
Lançamento: 08/08/2017
Qualidade: iTunes Rip
Gênero(s): World, Brasileira
Tamanho: 132 MB
 Nº TÍTULO DURAÇÃO
1 4:35
2 3:25
3 4:43
4 2:41
5 3:43
6 3:17
7 4:45
8 0:59
9 6:52
10 4:42
11 3:54
12 5:15
13 5:00
14 4:42
15 6:35

                            ℗ 2017 Vitor Ramil

 

DISPONÍVEL 
Resultado de imagem para icons spotifyResultado de imagem para icons deezerResultado de imagem para icones play storeResultado de imagem para icones apple

 

OPÇÕES PARA DOWNLOAD:

 

1 3 4

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s